sexta-feira, 29 de fevereiro de 2008

Nem mesmo a distância separa Amigos de Verdade...

Homenagem a minha família (Embalada pelos Titãs)

Eu e Felipe




Só quem toma um sonho
Como sua forma de viver
Pode desvendar o segredo de ser feliz
Foi nos bailes da vida ou num bar em troca de pão
Que muita gente boa pôs o pé na profissão
De tocar um instrumento e de cantar
Não importando se quem pagou quis ouvir
Foi assim
Cantar era buscar o caminho que vai dar no sol
Tenho comigo as lembranças do que eu era
Para cantar nada era longe, tudo tão bom
Té a estrada de terra na boléia de um caminhão
Era assim
Com a roupa encharcada e alma repleta de chão
Todo artista tem de ir aonde o povo está
Se foi assim, assim será
Cantando me disfaço e não me canso de viver
Nem de cantar


Nos Bailes da Vida - Roupa Nova

quinta-feira, 28 de fevereiro de 2008

Eu traduzida em fotos...

CD Sobrenatural




E falando em Lançamento de CD's, eu não poderia deixar de mencionar e dedicar um espaço para o novo CD do meu querido Pr. André Valadão...
O cantor, que recentemente gravou com a Banda Delirious que passou aqui pelo Brasil, está com este novo albúm, e tem como meta alcançar as famílias brasileiras com o Sobrenatural de Deus...
Quem puder visitar o Blog do meu amigo Edu e/ou o blog do próprio Pr. André Valadão, vai encontrar mais detalhes com relação ao novo trabalho.

Deus abençoe o Pr. André!

Grande Beijo!

CD Amigas...


Quero destacar nessa postagem o CD Amigas, das cantoras Eyshila e Fernanda Brum!

O trabalho está muito lindo, tendo em vista as tessituras vocais bem diferentes, dando um resultado bacana ao trabalho e eu quero dedicar esta postagem a elas duas...


Deus abençoe vcs meninas!
BL

"Soneto de Separação"




De repente do riso fez-se o pranto
Silencioso e branco como a bruma
E das bocas unidas fez-se a espuma
E das mãos espalmadas fez-se o espanto
De repente da calma fez-se o vento
Que dos olhos desfez a última chama
E da paixão fez-se o pressentimento
E do momento imóvel fez-se o drama
De repente não mais que de repente
Fez-se de triste o que se fez amante
E de sozinho o que se fez contente
Fez-se do amigo próximo, distante
Fez-se da vida uma aventura errante
De repente, não mais que de repente ...


Vinicius de Moraes

Olá...


Sejam bem-vindos ao meu Blog...


Nesse primeiro momento só posso desejar que voltem sempre...