quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

"Não espere pelo epitáfio" - Provocações Filosóficas - Mario Sergio Cortella

Hoje eu resolvi dar uma dica de um livro muuuuito da hora! 

Não espere pelo epitáfio - Provocações Filosóficas do Doutor, Professor, Filósofo e escritor Mario Sergio Cortella;

 O livro é a seleção de algumas crônicas publicadas pelo professor na Folha de São Paulo, e embora esse livro e as próprias crônicas tenham sido publicados a alguns anos, os assuntos abordados são bem atuais e refletem uma contemporaneidade desses temas e é incrível e curioso pensar em como o homem, normalmente, se perde nos mesmo conflitos.

Mas enfim, não sei se você tem alguma coisa contra o professor, porque eu já vi algumas brincadeirinhas com 'um quê' pejorativo sobre ele, (Você quer transformar tudo em uma palestra do Mario Sergio Cortella - Hehehe) mas o fato é que ele consegue trazer a filosofia para a vida prática. E eu acho isso bem fascinante. Refletir sobre o que nos acontece no cotidiano e como reagimos, ou porque reagimos, como me posicionar sobre determinado fato por mim mesmo, sem as ideias alheias, como ouvir, quando falar, e muitas outras coisas que merecem um pouco de atenção da nossa parte, mas que normalmente nós não pensamos a respeito. 

O livro é recheado de crônicas, em sua maioria leves e que não necessariamente demandam um grande esforço para entendê-las, mas que te faz pensar porque você faz o que você faz. O Cortella tem uma coisa muito interessante que é apresentar a etimologia das palavras, como adquiriu uso ao longo dos anos e como ganhou o significado que tem hoje e você vai se surpreender com algumas. Além disso o livro traz também muitas citações que enriquecem muito a narrativa. 

A crônica que dá nome ao livro é bem interessante, claro todas são, mas eu vou destacar a crônica " A Obra Intangível..." que é simplesmente maravilhosa e uma provocação muito boa aos preguiçosos, as pessoas que estão descansadas na vida e que acham que as coisas caem do céu ou ainda para quem acha que quem tem um dom não precisa aperfeiçoá-la.
[...] Como avaliar em um trabalho ou obra todo o intangível percurso e experiência anterior que foram necessários para que o resultado tangível possa ser recompensado, remunerado, apreciado? 
É isso... Ta aí um trechinho pra você começar a pensar... Hehehe!  Quem já eu e quiser, deixa as suas impressões sobre a obra por aqui!

Abraço!

















2 comentários:

Comentem!! :)